ABIDIEL VICENTE

São Paulo | SP | BRASIL | 1975

Um seguidor do legado da Pop Art, ficou mais conhecido por suas serigrafias feitas à mão. Sua primeira série exposta para um público maior, chamada Popsi, encartada no jornal Manipresto, sinalizou sua habilidade com arranjos formais e sua compreensão da arte enquanto algo independente. Antes de começar a trabalhar com o papel como suporte, mostrou sua habilidade técnica ao misturar pintura com aerógrafo e serigrafia em barris de metal de diversos tamanhos. Neles o artista materializa embalagens de remédios psiquiátricos como Rivotril, Dormonid, Lexotan, Prozac e outros rótulos e logomarcas ícones da cultura de consumo popular. Atualmente desenvolve uma pesquisa em diferentes suportes, como objetos de madeira e telas, onde também aplica a técnica da serigrafia.

Da série Autobahn, 2017, acrílica sobre tela
Da série Autobahn, 2017, acrílica sobre tela, 100x100cm
Da série Autobahn, 2017, acrílica sobre tela, 100x100cm
Killers Fucking fakes, 2015, Serigrafia sobre madeira, 60x40x30cm
Killer's Porn Fakes, 2017, Serigrafia sobre tela, 154x96,5cm
Killers Porn Fakes, 2014, Serigrafia, 146x91cm
Love is Love, 2015, serigrafia sobre canvas, 90x90cm
Revolution, 2018, serigrafia sobre canvas, 226x89 cm
Revolution, 2016, Serigrafia, 92x223cm
Type Music, 2015, Serigrafia, 65x47cm
killer's Porn Fakes (bege), 2015, serigrafia sobre madeira, 77x56x24,5cm
killer's Porn Fakes (pink), 2015, serigrafia sobre madeira, 77x56x24,5cm
killer's Porn Fakes (cinza), 2015, serigrafia sobre madeira, 77x56x24,5cm
killer's Porn Fakes (azul), 2015, serigrafia sobre madeira, 77x56x24,5cm
Moholy Nagy, 2017, serigrafia, 86x66cm
Warhol red box, 2015, Serigrafia sobre madeira, 77x53x24cm - Obra em parceria com o artista Houssein Jarouche
Dance, 2015, Serigrafia, 79x115cm - Obra em parceria com o artista Houssein Jarouche