IVAN SERPA

RIO DE JANEIRO | RJ | BRASIL | 1923-1973

Atuou como pintor, gravador e desenhista. Fez parte do grupo Frente e teve participações na principais exposições de arte do Brasil como I Exposição Nacional de Arte Concreta no Rio de Janeiro em 1954, I Exposição de Arte Neoconcreta realizada no Rio de Janeiro em 1959 e na década de 1960 participa das exposições Opinião 65, Opinião 66 e Nova Objetividade Brasileira, que reuniu os grandes nomes da geração que emergia nas artes plásticas naquele momento.

No início dos anos 1960 realiza algumas experiências no campo da figuração, entre as quais a chamada “fase negra”, de tendência expressionista, que se desenvolve num momento de crise política, que culmina com o golpe militar de março de 1964. A partir de 1965 retorna ao abstracionismo geométrico, introduzindo elementos mais ligados à sensualidade das formas, o que inexistira no trabalho de sua fase concreta desenvolvido ao longo dos anos 1950.

Recebeu vários prêmios no Brasil e participou de várias bienais realizadas em São Paulo, além de Veneza (1952,1954 e 1962) e Zurique (1960), quando é igualmente premiado. O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro realizou algumas retrospectivas de sua obra nos anos 1965, 1971 e 1974.

Da série Op Erótico, 1969, Serigrafia, 70.5x55.5cm
Da série Op Erótico, 1969, Serigrafia, 70.5x55.5cm
Sem título, 1970, Serigrafia, 55x55cm
Sem título, 1972, Serigrafia, 55x55cm
Sem título, 1972, Serigrafia, 27x22.5cm
Sem título, 1963, Serigrafia, 41x41cm