PAUL BÉLIVEAU

QUEBEC | CANADÁ | 1954

Com mais de cem exposições individuais no Canadá, Estados Unidos e Europa, Paul Béliveau exibiu seus trabalhos por mais de quarenta anos. Conhecido por sua natureza meticulosa e sua precisão estética, a abordagem de Béliveau para a pintura é uma extensão da “arqueologia pictórica”, na medida em que seu trabalho faz referência a uma base de dados de milhares de fotografias pessoais e históricas, lembranças e vestígios. Um foco que o artista retorna constantemente é a sua representação de livros – lombadas de livros especialmente – alguns de sua própria coleção de livros, mas principalmente da sua extensa biblioteca de imaginação.

 

Preocupado com os processos de percepção, como a humanidade consegue explorar idéias que não estão em nosso ambiente atual, ou talvez nem mesmo reais, e, finalmente, como esses sistemas ganham vida através da composição, as pinturas de Béliveau nunca são feitas como pontos finais. Pelo contrário, eles se revelam como contornos, esboços e criações que estão em constante evolução. Consequentemente, não são as próprias imagens, mas o processo único de desenvolvimento criativo, que concede às obras de Paul Béliveau sua originalidade. O sistema consciente de construção que entra na criação de Béliveau, não proporciona qualquer sensação de indiscriminação, fato que pode ser vinculado ao fascínio do artista pela arquitetura, à forma como as máquinas trabalham e as estruturas industriais, que ele compara, de fato, aos organismos vivos.

Les Rencontres # 1, 2009, Serigrafia, 66X66cm
Vanitas II, 2011, Serigrafia, 66X66cm
Vanitas III, 2012, Serigrafia, 44X89cm
Vanitas IV, 2015, Serigrafia, 39Xx89cm